Revisão da restrição de gabarito dos edifícios em São Paulo, quais os benefícios e desvantagens?

Facilite seus estudos de empreendimentos imobiliários com a volta da Ficha Técnica Online!
18 de janeiro de 2018
O que você está achando da Gestão Doria? É trabalho, trabalho e trabalho, mas no caminho certo? E os próximos passos?
18 de janeiro de 2018

Revisão da restrição de gabarito dos edifícios em São Paulo, quais os benefícios e desvantagens?

 No mês de novembro esteve em pauta na mídia, em especial em artigos de opinião no jornal Folha de São Paulo a questão da revisão da restrição dos gabaritos de edificações na cidade. Veja na íntegra aqui e aqui os argumentos a favor e contra a revisão

Em meio à adaptação mediante todas as novas Leis que regem a espacialidade urbana e norteiam a construção de empreendimentos na cidade de São Paulo – PDE em 2014, LPUOS em 2016 e, finalmente, COE em 2017 – dentre outras tantas portarias e Decretos, a mudança de gestão na prefeitura também traz agora à discussão novas propostas de alterações e adaptações a essas mesmas Leis e pretende abrir novas consultas públicas ainda este ano.
O alvo da vez é a restrição dos gabaritos das edificações, veja quais os argumentos a favor e contrários à revisão proposta.
Segundo a Secretária de Urbanismo e Licenciamento da cidade de São Paulo, Heloisa Proença, o principal argumento para a revisão – e consequente diminuição das restrições de gabarito – é interessante na medida em que democratizaria o acesso à moradia em locais melhor servidos de infraestrutura, já que baratearia a construção e consequentemente o preço do m² para o consumidor final.
Já segundo o ex-secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando de Mello Franco, a revisão não se justifica como medida efetiva de combate à gentrificação nos bairros e pode caracterizar perda na qualidade urbanística e nas características essenciais de diversas regiões onde os moradores se opõem à verticalização irrestrita.
O projeto de revisão deve ser colocado em consulta até o final deste ano.
E você, o que acha?

Irianna Steck

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *